Na impossibilidade de termos a convidada hoje, apresentamos Clít Córtex a nu no Slammers & Storytellers.
O micro estará aberto!

Estamos todos algo dormentes em relação a convites nas redes sociais, no entanto prometi à Carla M. criar um evento que nunca chegará para descrever o prazer que temos em subir ao palco da Garagem da Graça – Oficina de Cultura com Patrícia Filipe.

A performer, artista plástica e professora é uma espécie de pré-mãe do projecto que tenho com a Carla M., isto é, foi num concerto de Come-se a pele? que Clít Córtex nasceu, aqui mesmo na Graça do Sons da Liberdade onde a Patrícia nos apresentou.

A expressão da autora parte do externo e quando não sai pela garganta jugular, essa encarnação sai pelos pés, em sapateado ou serpenteado. Fala de palavras, histórias, poemas, rábulas pessoais e improvisações sociais experimentais onde o papel da mulher é incinerado.

Melhor seria colar cartazes por todo o lado, estamos a equacionar.
O cartaz desta edição do evento encontra no cinema mote exótico enquanto do outro lado do mundo alguém se grava a anunciar o tempo na praia, como se estivesse na zona oriental de Lisboa.
Na quarta pelas 22:00 a Garagem está por nossa conta.

Negro