Estou em busca do meu Sol

Incessantemente meu coração

Se abre e fecha na mesma

Medida em que ele aparece

E desaparece

Difícil mantê-lo

Sem sonho, sem poiso

Sem cair, sem levantar

Difícil mantê-lo sem nervo

Difícil será até detê-lo.

A matéria do sonho é

Imaginária e garantidamente Sólida.

Não volto costas, nem viro os pés

Finco-os no chão da terra deserta

Com a certeza certa

Onde o sol estiver

Um dia ele será livre

Para me levar algures

Nesta terra de nenhures.